Desde que foi criado pela ONU, em 1975, o Dia Internacional da Mulher nos revela histórias de mulheres que lutam pelos seus ideais. No dia a dia, não são poucos estes exemplos femininos que nos inspiram muito além da beleza.

Para que você também possa se inspirar, a gente conversou com três mulheres, de diferentes áreas. O que há em comum entre elas? A vontade de transformar o mundo com a ajuda da tecnologia e do bem-estar. Ficou curiosa? Então vem conhecê-las! 

 

 

Dia da Mulher dress & go

Mariana Penazzo, 28 anos, sócia da Dress & Go 

Quando decidiu empreender, em meados de 2012, a dupla Mariana Penazzo (à dir.) e Bárbara Diniz, 30 anos, só tinha uma certeza: seria algo inovador e dinâmico, que poupasse tempo e beneficiasse todos os envolvidos. Foram dias de pesquisa e brainstorm até que as ideias pareciam ter sumido de vez. “Fechamos o caderno e fui até o armário da Bárbara. Tinha uma festa naquela noite e queria um vestido emprestado”, lembra Mariana. A resposta sobre o que seria o novo negócio também estava guardada ali: uma plataforma online de aluguel de vestidos assinados por estilistas reconhecidos. “A ideia uniu alguma familiaridade com a moda e a vontade de poupar tempo das pessoas com a ajuda da internet”, diz Mariana. Sem falar no consumo consciente: afinal, muitas mulheres evitam repetir vestidos de gala ou simplesmente não têm a agenda lotada de eventos para poder usá-los novamente. Para ajudá-las, o site Dress & Go entrou no ar no início de 2013 e já recebeu dois aportes financeiros, um deles internacional. Hoje, a plataforma conta com um acervo de mais de 2 mil peças de 45 estilistas, como Reinaldo Lourenço, Adriana Barra e Tufi Duek. Os preços variam entre R$ 145 e R$ 1.595, para aluguéis de 4 ou 8 dias. A marca mantém ainda um showroom na capital paulista, onde se pode provar os vestidos com horário agendado. E a maior dica para escolher entre tantas opções? “A opinião das outras pessoas não pode ser crucial: prefira sempre o que te faz sentir mais bonita e confortável. A beleza vem de dentro e a roupa só vai coroar essa sensação!”, sugere Mariana.

 

 
Dia da Mulher nanda cury

Nanda Cury, 34 anos, cantora e criadora do Blog das Cabeludas

Depois de passar a infância sentindo vergonha do próprio cabelo e a adolescência tentando “domá-lo” com chapinha e relaxamento, Nanda Cury enfim descobriu a beleza de ser crespa. Em 2009, a então vocalista da banda X So Pretty, 100% feminina, passou a fotografar mulheres que, como ela, assumem as madeixas naturais e se orgulham delas. Essas imagens a levaram a criar, em 2009, o Blog das Cabeludas, hoje atualizado via Facebook e que trata principalmente de beleza afro e empoderamento feminino. “Criei o blog para mostrar que a beleza brasileira está na diversidade de tons de pele, texturas capilares, culturas e vivências”, diz a especialista em Marketing Digital. Para este ano, ela planeja reunir em um site todo o conteúdo produzido e algumas descobertas recentes, como a ioga, a meditação e o movimento feminista. “O feminismo tem muitas pautas, mas ainda é urgente discutir problemas estruturais, como o racismo, e entender questões que potencializam a violência e a discriminação contra a mulher”, diz. Para ela, a internet só potencializa a articulação entre mulheres. Foi por meio da rede, aliás, que Nanda e um grupo de mulheres organizaram a Primeira Marcha do Orgulho Crespo. O evento aconteceu em julho do ano passado, na Avenida Paulista, e repercutiu nas mídias brasileira e internacional.

 

 

Dia da Mulher carolina ferrés

Carolina Ferrés, 39 anos, designer e idealizadora do projeto Cidade Azul 

Nascida em Fray Bentos, no Uruguai, Carolina brincava às margens do Rio Negro – não o afluente do Amazonas, mas o que nasce no Rio Grande do Sul – antes de se mudar para São Paulo, aos 7 anos. Ao chegar à cidade, deparou-se com os maltratados Tietê e Pinheiros, apenas dois dos quase 300 rios e córregos que correm na metrópole (a maioria canalizada para dar lugar a avenidas ou ser usada como depósito de esgoto). Três décadas depois, a designer conheceu o projeto Rios e Ruas, que organiza passeios a pé pela capital para falar sobre rios aparentes e os que estão sob o concreto. Inspiradas pela ideia, ela e mais quatro jornalistas idealizaram o Cidade Azul, projeto que reúne audioguias gratuitos, baixados via smartphone, que conduzem o ouvinte pelos rios paulistanos. Por enquanto, é possível caminhar sobre o antigo curso do Rio Verde, na zona oeste da cidade, e sobre o encontro dos rios do centro de São Paulo. A iniciativa está captando recursos para produzir mais seis audioguias e envolve ainda pesquisas sobre tratamento de esgoto doméstico (responsável por 70% da poluição dos rios). “Resgatar o papel sagrado da água é uma única forma de livrá-la de virar esgoto. Ela é o elemento que nos reconecta com a natureza da forma mais profunda, porque nós somos água.”, defende. Como próximo passo, Carolina pretende produzir uma websérie sobre o assunto.

 

Quer tal homenagear uma mulher inspiradora na sua vida com maquiagem? Então olha só o presente que nós preparamos com produtos versáteis, para um make completo. 

 

Fotos: Divulgação (Mariana Penazzo e Bárbara Diniz), Red Bull Amaphiko/Philipp Benedikt (Carolina Ferrés) e Marcos Suguio (Nanda Cury)